Clínica Infantil Indianópolis

A Segunda Consulta

Sucos de Frutas e Legumes:

–  Com tendência laxante: laranja (lima, pêra, seleta), tomate.

–  Com tendência obstipante: maçã, cenoura,l imão ( gotinhas).

• Os sucos deverão ser oferecidos de preferência “in natura”. Eventualmente poderão ser diluídos em água e levemente adoçados. Para cada 100 ml. de suco adicionar no máximo uma colher de chá rasa de açúcar comum ou especial (Nidex ou Dextroso)  ou mel.

• Oferecer uma fruta de cada vez, para avaliar o paladar da criança e o ritmo intestinal (efeito laxativo ou obstipante).

• Iniciar com 20ml. de suco e aumentar gradativamente , respeitando sua aceitação.

• A introdução de produtos industrializados deve ser a mais tardia possível e quando na impossibilidade de oferecer sucos naturais, como por exemplo na ida à restaurantes, clubes ou na casa de algum parente. “Atentar para a marca e a procedência destes produtos”.

Horário: Entre a 1ª e a 2ª mamada (no meio do passeio: entre 9:00 e 9:30 hs).

                Oferecer após o banho de sol, quando a sede é mais intensa.

Evitando anarquia

Todo regime deve ser imposto com certa flexibilidade a fim de proporcionar condições para que o bebê se adapte, o mais rápido possível, aos costumes da família, sem muito estranhar. A inconstância nessa fase inicial de aprendizado pode ser prejudicial.

 Imaginemos a seguinte situação: num dia o suco é oferecido pela manhã, noutro dia à tarde, outras vezes ao anoitecer e em determinados dias, esquecemos do suco. Se nos colocarmos na posição do bebê, que ainda não tem o mínimo de compreensão e cujo único meio de expressão é o choro ou o sorriso, para demonstrar  desagrado ou satisfação, é fácil imaginar como será a sua reação.

A falta de rotina no dia-a-dia do bebê, não somente no que concerne aos sucos, como também na hora do passeio, do banho, etc. transmite insegurança. A criança estará sempre preocupada com o que pode lhe acontecer, dificultando o despertar mais precoce para as outras coisas que a cercam. 

É relativamente freqüente a queixa de criança agitada, sem que se identifique uma doença. Nesta idade, a falta de rotina é uma causa importante de inquietação.

Evitando maus hábitos 

O bebê não deve adormecer sugando uma mamadeira com suco de frutas, leite ou chás adoçados. Nestes casos, os vômitos e as regurgitações ocorrem mais amiúde, com maior risco de aspiração pulmonar, infecções de ouvido e das vias aéreas superiores. Em futuro não muito distante, estas crianças ficarão mais vulneráveis às chamadas cáries da mamadeira – com o esmalte dos dentes desgastado deixando a impressão de descuido e o pior é que “os antibióticos levarão a fama”.


VIVA A LIBERDADE

Com 30 / 60 dias de vida, quebrando a rotina do bebê e iniciando seu relax, o que não deixa também de ser uma higiene mental para a mamãe, para evitar que  fiquem confinados a quatro paredes – recomendam-se os passeios. A finalidade, além de proporcionar este bem estar psíquico e social, é estimular um despertar precoce para o mundo exterior da criança, afora outros benefícios em termos de prevenção de doenças entre elas o raquitismo e o escorbuto. 

* ESCORBUTO: a carência de ácido ascórbico (vitamina C), além de prejudicar a absorção de ferro, causa fraqueza, anemia e sangramento gengival. A ingestão de 60ml. de suco é suficiente para suprir as necessidades diárias desta vitamina, dispensando o emprego de complemento vitamínico .

* RAQUITISMO: doença causada pela carência de vitamina D, acarretando deformações ósseas.

Sua prevenção é feita através dos banhos de sol.

Nos mínimos detalhes – os raios ultravioletas do sol ao incidirem diretamente sobre a pele, agem da seguinte forma:

* estimulam a produção de vitamina D que é necessária para a absorção do cálcio presente na alimentação.  Em suma, a vitamina D é fundamental para o depósito de cálcio nos ossos.

* degradando a bilirrubina (pigmento encontrado no sangue que quando em excesso confere à pele uma tonalidade amarelada, conhecida como icterícia). O sol diminui a intensidade e acelera o desaparecimento da icterícia. Nestes casos, obviamente que com os devidos cuidados (subentende-se bom senso), o bebê pode sair de casa com alguns dias de vida para seu banho de sol.

ALGUNS CUIDADOS PARA CURTIR O PASSEIO E PEGAR UM BRONZEADO

–   No verão os horários que o sol é mais fraco são no começo da manhã até às 9hs. e  no  final da tarde, por volta das 17hs. Evitar a exposição entre 10 e 16hs.

–  O banho de sol, nos primeiros dias, não deve ultrapassar 5 a 10 minutos. Aumentar a exposição progressivamente até, no máximo, meia hora. A mesma atenção deve ser dispensada ao mormaço.

Quanto menos roupa melhor!! Utilize um boné, ou guarda-sol para proteger o rosto. Não use protetor solar nos primeiros 6 meses para evitar irritação da pele que ainda é muito sensível .

Não existe um filtro solar ideal, é muito particular. Os mais potentes, mesmo os rotulados como hipoalergênicos, não estão isentos de causar reação alérgica.

–  O uso da mochila do tipo canguru, apesar de uso liberado a partir do terceiro mês, quando o pescoço já está mais firme, prejudica o banho de sol e a criança fica virada para a mãe, totalmente alheia ao propósito do passeio.

–  O carrinho deve ter capota, freio, cinto de segurança, rodas largas (mais fáceis de subir escadas) e interior lavável.

–  Evite lugares fechados e com muita gente como shopping centers, pois o barulho pode agitar o bebê deixando de ser uma higiene mental, sem considerar o maior risco de transmissão de doenças. Após o segundo mês, com o início da vacinação básica, este risco diminui, mesmo assim, a prioridade deve ser para passeios ao ar livre, desde que as condições climáticas sejam favoráveis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *