Clínica Infantil Indianópolis

Carreira de Obeso

– Há consenso geral que a obesidade na maioria dos casos, decorre do binômio : superalimentação e sedentarismo. Nestas circunstâncias, o gasto energético será menor e mais alimento sobrará para ser transformado e acumulado  na forma de gordura. As células adiposas uma vez aumentadas de volume nunca voltam completamente ao normal, sendo maiores os riscos de uma criança gordinha tornar-se um adulto obeso, ou então , viver constantemente em regime. Por isso o peso deve ter um controle mais rigoroso a partir  dos 12  anos, quando já ocorre maturidade do paciente para viabilizar um eventual tratamento. 

– Quanto à probabilidade dos filhos de pais gordos serem também adultos obesos, existem controvérsias. Contudo, se há dúvidas no que concerne à esta  herança familiar, é certeza que a criança herda os vícios alimentares das pessoas com quem convive e outros hábitos, que desde cedo, é induzida a  participar. Nestes casos, é necessário corrigir os hábitos inadequados e orientar os adultos para que não continuem dando maus exemplos. 

– Convém alertar que assim como determinadas crianças utilizam a falta de apetite como arma para chamar atenção de pais excessivamente preocupados com a alimentação, podem com a mesma finalidade, comer em demasia.

– Afora as doenças que podem condicionar aumento de peso como o hipotireoidismo e a hiperfunção das glândulas supra-renais, comer exageradamente pode refletir uma situação de ansiedade, compensação por uma perda, insatisfação consigo próprio ou uma proteção contra ameaças externas. A ansiedade provoca um aumento da produção do hormônio cortisol que, por sua vez, faz baixar os níveis de serotonina no cérebro. Como a serotonina tem ação tranqüilizadora, para compensar esta deficiência, o organismo começa a exigir alimentos que estimulem rapidamente sua produção, daí então, a compulsão por chocolates, doces e carboidratos, cujo resultado final é o aumento de peso. 

– É importante identificar a ocorrência de alguma situação que possa estar desencadeando o quadro:

• Mau relacionamento familiar

• Falecimento ou abandono do lar por um dos cônjuges

• Nascimento de um irmão 

• Rendimento escolar insatisfatório ou excesso de competitividade e receio de  não corresponder às expectativas . Exagero nas atividades ( escola, aula particular de inglês, natação, hipismo, etc.)

• Falta de entrosamento com colegas. 

• Desemprego, alcoolismo, etc.

– Apesar de não existirem fórmulas mágicas para perder os quilos extras, recomenda-se conciliar exercícios físicos com dietas balanceadas à base de frutas, verduras, cereais , carnes magras e fibras, restringindo-se o uso abusivo de açúcares , massas  e frituras . A regra básica é quanto menos gordura melhor, exceto  a ômega 3,  tipo de gordura encontrada em peixes especialmente salmão e sardinha , cujo consumo é recomendado semanalmente. Os  produtos diet, light, e transgênicos devem ser consumidos com moderação.

– Não parece oportuno o uso de dietas rigorosas que podem ser prejudiciais à saúde da criança .sendo aconselhável o emprego de restrições seletivas, ofertando-se  e retirando-se certos alimentos. Uma dieta equilibrada pode ser mais eficaz do que medicamentos, além de ser isenta de efeitos colaterais.

O importante é dar condições ao pequeno obeso para que perca peso sem muito sacrifício, sendo desaconselhável os extremos : maratonas x sedentarismo. As crianças não devem passar grande parte de seu tempo sentadas no computador, lendo ou assistindo TV, já basta o período escolar.

Meia hora de caminhada quatro vezes por semana é suficiente para fugir à vida sedentária

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *