Clínica Infantil Indianópolis

Comer Pouco

Durante o primeiro ano de vida a criança cresce cerca de 25 cm. e engorda aproximadamente seis quilos e meio. Se ela continuasse se desenvolvendo nesta mesma proporção, com 10 anos de idade ela iria engordar 65 quilos e teria crescido dois metros e meio. Por este motivo após o primeiro aniversário ocorre uma redução do apetite por desaceleração do crescimento.

O apetite varia de um  dia para o outro, e depende também da fase de seu desenvolvimento, de modo que  não se pode fixar com exatidão o quanto deve comer  em cada refeição.

A quantidade adequada de alimento é a que satisfaz o apetite e promove um crescimento normal.

Frequentemente  o problema do meu filho não come está mais na cabeça dos pais ( avós ) do que na realidade da criança.

Precisamos ter consciência de que a criança não se alimentará  segundo os desejos , as exigências e as regras da família – nunca irá comer igual a criança de sua vizinha !

É  mais cômodo um estimulante do apetite do que seguir algumas destas regras práticas :

1.  A mesa deve estar sempre muito bem arrumada e o ambiente agradável , até mesmo com fundo musical se for hábito da família . Importante evitar reprimendas, castigos e qualquer assunto de caráter conflitante.

2.   Não permitir que coma fora dos horários de refeição .

3.  O horário das refeições deverá ser regular, porém não inflexível. Convém deixar a criança descansar alguns minutos antes do seu início. Não interromper bruscamente sua recreação.

4. Nunca falar na frente da criança que não gosta de determinada comida , pois elas  tendem a imitar os adultos , sendo frequente o relato da criança não gostar de um alimento sem saber o gosto que ele tem.

5.Procurar adequar os alimentos de acordo com as alterações climáticas, ou seja, em dias de verão é mais agradável um milk shake, do que um chocolate quente.

6.  Permitir que a criança  faça  o seu próprio menu, e que determine a quantidade que quiser comer. Algumas crianças preferem comer cada alimento por sua vez, enquanto outras fazem uma mistura. Estas preferências, assim como ter boas maneiras à mesa, refletem o exemplo da família que lhe serve de padrão.

7.  Oferecer pequenas quantidades de cada vez e deixar  que a criança solicite mais daquilo que desejar.

8.  Evitar a pressa exagerada no oferecimento dos alimentos e também  que se deixe prolongar em demasia a

 refeição deve durar aproximadamente meia hora, depois desse prazo os pratos devem ser retirados…

calmamente.

9.  Nunca agradar, chantagear, ou forçar a criança para comer. Manter atitude impassível quando recusar um   alimento.

10. Procurar variar periodicamente a apresentação e os temperos dos alimentos recusados.

• Se forem seguidas pelo menos seis dessas regras, certamente os problemas do “ meu filho não come”  serão minimizados .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *