Clínica Infantil Indianópolis

Refluxo Gastroesofágico

 REFLUXO GASTROESOFÁGICO


Autor : Rubens T. Bonomo


1) Definição É o retorno do conteúdo gástrico (alimentos parcialmente digeridos e secreções) para o esôfago.Os casos típicos são caracterizados por vômitos e regurgitações, entretanto, nem sempre o refluxo se faz presente por estes sintomas. Existe a possibilidade do material refluído ficar contido no esôfago, quando então é chamado oculto ou silencioso, passando despercebido, salvo os casos com manifestações indiretas ou inespecíficas que são indicativas de alguma complicação. Os refluxos quando tem uma evolução isenta de complicações são considerados fisiológicos ou normais, caso contrário, patológicos ou doentes, comumente referenciados como Doença do Refluxo Gastroesofágico.


2) Posição no ranking Os vômitos, a dor abdominal e a constipação intestinal representam os três principais motivos de consultas na especialidade da gastroenterologia infantil.Nos primeiros três meses de vida, a cólica é o sintoma que mais desperta atenção dos pais, no entanto, por se tratar de um processo reconhecidamente adaptativo, é encarada com certa naturalidade, sendo mencionada nas consultas rotineiras de puericultura, mais como um desabafo da mãe do que propriamente uma queixa. O mesmo já não acontece em relação aos vômitos que por serem mais preocupantes, muitas vezes, são os motivos das consultas. Nos primeiros quatro meses de vida, tem-se notado um número crescente de consultas motivadas por este sintoma vinculado ao refluxo, seguido pela obstipação intestinal, queixa predominante até os quatro-cinco anos de idade. A partir daí, as crianças ficam mais sujeitas às verminoses e sob influência de fatores emocionais, pois estão em uma fase marcada pelo início das atividades escolares e desportivas, que despertam o espírito de competitividade com cobranças e expectativas, às quais, muitas vezes, não correspondem às suas reais características. Os resultados podem contribuir com uma carga negativa de frustração, tudo para emergir como queixa mais freqüente a dor abdominal. ( Τ ). 

3) Doença do Refluxo Gastroesofágico e suas implicações A complicação mais freqüente do refluxo gastroesofágico é a esofagite (esofagite de refluxo) e a complicação mais temível das esofagites é a barretização.O revestimento do estômago tem uma constituição histológica apropriada para resistir à acidez, diferente à do esôfago. Com as sucessivas esofagites, o esôfago para suportar as agressões da acidez gástrica, pode sofrer alterações no seu revestimento, assumindo uma morfologia semelhante à do estômago, referida no meio médico como metaplasia ou barretização ou esôfago de Barret. Esta alteração é considerada um estágio pré-canceroso da doença, prognóstico indesejado que pode ocorrer, principalmente nos casos negligenciados, após 10-20 anos. 

Clique aqui e visualize o artigo completo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *